Excesso de escolhas pode intimidar seu usuário

Excesso de escolhas pode intimidar seu usuário

Quando entramos em um site procurando um conteúdo rápido e específico não desejamos ser interrompidos com perguntas, cadastros ou ofertas inconvenientes. Todos os popups e balõezinhos indesejados que aparecem na tela são intuitivamente fechados assim que aparecem, não é verdade?

Isso é uma reação ao excesso de escolhas que um site te oferece. É de grande interesse da indústria conhecer melhor seu usuário e oferecer novas opções e ofertas, mas é necessário tomar cuidado para a navegação não jogar o usuário em um labirinto e sem saber pra onde ir.

two_paths

O necessário, somente o necessário.

Em um site de operadora de celular, por exemplo, somos convidados a entrar com nossa cidade antes de acessarmos o conteúdo. É perfeitamente compreensível que ofertas e serviços da empresa sejam segmentados por região e, embora seja possível identificar o local de acesso do usuário por outros métodos, dar ao usuário esse poder de escolha parece útil para quem acessa de outros estados, por exemplo.

Esse tipo de escolha é pertinente ao usuário e não intrusiva.

Pode entrar, a casa é sua.

Quando vamos ao shopping temos o costume de entrar numa loja, analisar produtos e sair sem ao menos dar um “oi” a atendentes. A analogia aqui é perfeita: você entraria nessa loja se tivesse que pedir permissão a alguém ou preencher um formulário antes de dar uma olhada na vitrine?

Repare também nos sites e-commerce. Uma loja online nunca interrompe sua navegação com nenhuma escolha desnecessária. Você pode entrar, ver os produtos, encher sua sacola de compras e só na hora de concluir a compra ele pede seu login e senha ou dados para cadastro.

Veja como o formulário de cadastro só requer a entrada do número do CEP. Imagine se logo de cara fôssemos obrigados a preencher um cadastro com mais de 10 campos e veja como isso é imprescindível para evitar a fuga de um cliente em potencial.

O medo do desconhecido.

Se recebemos uma oferta de trilhar um novo caminho pela navegação do site, precisamos saber que voltaremos exatamente para o ponto que estávamos. Muitas escolhas seguidas e formulário com muitas páginas podem confundir o usuário e a frustração pode fazê-lo desistir de conquistar a informação que ele queria. Recursos como um menu de contexto ou breadcrumb trail ajudam muito  nestes casos.

Veja cadastro do Vimeo, por exemplo, não oferece breadcrumb ou menu, como sugeri, mas é tão divertido que dá vontade de cadastrar a família toda.

Não esqueça que seus usuários são pessoas comuns.

É fácil achar problemas de insatisfação na navegação quando vemos outras pessoas desbravando aquela interface. Faça testes de usabilidade e não tente controlar seu usuário final. Lembre-se também que o seu visitante não é um desenvolvedor e nem sempre sabe o que procura.

Repasse para seu usuário somente as decisões pertinentes e sensatas. Não o entupa de formulários e faça sua interface de fácil entendimento. Essa parece uma boa receita para mantê-lo satisfeito com a navegação. E você, o que acha?